sucesso-profissional.png

CURSO ONLINE SUCESSO PROFISSIONAL

Um curso online prático com 19 aulas + ferramentas para auxiliar na construção do seu sucesso profissional.

atendimento-online.png

PRECISANDO DE UM APOIO ONLINE

Que tal agendarmos uma consultoria online para turbinar o seu crescimento profissional?

  • Jonas Schell

Renascimento e transcendência: Um estudo detalhado das 08 leis do sucesso

Será necessário renascer e transcender tudo aquilo que acumulamos em nossas vidas até aqui, principalmente no que se trata de sucesso e propósito. Acreditamos que tudo aquilo que estamos colhendo em nossas vidas, são frutos do plantio que fizemos anteriormente, desta forma fica fácil entender: se você não está colhendo frutos de sucesso e propósito agora, é porque anteriormente não semeou tais sementes.



Mas fique tranquilo! Vou mostrar para você o quão é fácil fazer um novo plantio a partir de agora. Começamos entendendo que existem diferentes tipos de terra para realizar o plantio, e todas elas têm o seu verdadeiro significado em nosso desenvolvimento.


Saiba como identificar a característica do solo fértil que você pisa atualmente e saberá como realizar o plantio das melhores sementes para plantar (e colher) o verdadeiro fruto chamado sucesso e propósito.


A seguir vou lhe apresentar cada um destes solos (que funcionam como leis universais ao sucesso e propósito em nossas vidas) e também como você pode se relacionar bem em cada um deles.


Se você ainda não viu a aula inicial sobre os estudos da leis do sucesso, ACESSE AQUI.


Estudo detalhado das 08 leis do sucesso profissional


Neste momento, vamos estudar os tipos de solos no qual vamos plantar as sementes do verdadeiro sucesso e do propósito de vida. Você acreditaria se eu lhe falasse que existem leis que regem a trajetória para o verdadeiro sucesso profissional? Pois bem! Eu também não acreditava nisso anteriormente, até que consegui reunir alguns estudos e entender de forma prática como esse conjunto de leis funciona em nossas vidas.

Conforme construímos o nosso dia a dia profissional, estamos sendo constantemente banhados por essas leis. Vou explicar abaixo, como fiz essa analogia sobre os estudos das leis do sucesso profissional.

Richard Barret é um dos grandes estudiosos da comunicação nas organizações, e tem como um dos grandes sucessos no país, a obra “A organização dirigida por valores”. Barret oferece uma enorme contribuição aos estudos das necessidades humanas e das organizações, dando um novo enfoque ao tema a partir dos estudos do pesquisador Maslow. Toda organização/empresa se desenvolve em termos de estágios de evolução psicológica, o que nos auxilia a entender este mesmo desenvolvimento em nosso sucesso profissional.

A teoria da “hierarquia de necessidades” de Maslow foi o mote criativo para os estudos de Barret, que chamou sua teoria de “estágios do desenvolvimento psicológico”. A proposta pode ser entendida no mesmo sentido das necessidades humanas, sendo as necessidades de níveis menores, como as três primeiras, a base para suprir as necessidades superiores. Ou seja, as necessidades superiores necessitam que as demais já estejam devidamente resolvidas, fazendo com que, possamos identificar quais as necessidades que devemos atender para que possamos estarmos conectados com o nosso verdadeiro resultado: a construção do nosso sucesso e a leitura de nosso propósito.

Os profissionais que entendem esses estágios do desenvolvimento integral, descobrem de forma consciente, o funcionamento das oito leis do sucesso profissional, o que leva este sujeito a um despertar, um insight poderoso que nos possibilita uma verdadeira reconstrução de nossas vidas. Mas, vale salientar que os níveis superiores, ou as leis do topo dessa pirâmide, não são “mais importantes”, pois elas só conseguem alcançar seu potencial transformador quando todos os demais estão devidamente atendidos.

Os profissionais muito focados nos níveis inferiores tendem a ter uma boa estrutura de recursos materiais, com ápices de lucros e se comunicam bem sobre sua atividade, contudo não desenvolvem voos muito altos, porque não têm um objetivo claro e um propósito delineado. Já os profissionais focados nos níveis superiores, conseguem produzir muita qualidade em suas atividades, em seu propósito altamente e claramente desenvolvido. Emocionam pessoas e conseguem engajamento da equipe e de clientes, mas falham na gestão administrativa, financeira, organizacional de suas vidas, pela pouca atenção aos níveis mais superficiais. Logo, eles são parte de um mesmo processo.

O percorrer deste caminho entre os níveis mais superficiais, de uma consciência materialista e individualista até um nível de consciência que alcance a humanidade como um todo, é chamada por mim de “As Oito Leis do Sucesso Profissional”.

Lei da Sobrevivência


Esta primeira lei aborda as nossas necessidades de sobrevivência, ou seja, afirma com clareza que a nossa atividade profissional deve permitir um retorno básico de recursos para a nossa sobrevivência. Sendo assim, por mais insatisfeito que esteja aquele profissional, o seu benefício básico ao realizar tal atividade, implica receber recursos para que possa viver neste mundo físico, nem que seja o suficiente para comer e suprir suas necessidades mais básicas.

É nesta lei que encontramos o valor financeiro que recebemos ao exercer nossa atividade, o famoso salário mensal, ou também, valores recebidos por profissionais que trabalham de forma liberal ou autônoma.

Na lei da sobrevivência encontramos todos os recursos financeiros que geramos com a nossa atividade profissional, pois é através destes recursos que sustentamos a nossa vida. Se você acredita neste momento que está recebendo pouco retorno financeiro perante a sua atividade profissional, é sinal que você não está bem relacionado com uma lei ainda maior, a lei universal: Lei do dar e receber.

A Lei do dar e receber, também chamada de Lei do equilíbrio de troca, foi observada nos grupos sociais por Bert Hellinger, como algo de fundamental importância para o funcionamento e manutenção dos sistemas de uma forma geral. Todo ser é dotado da capacidade de troca, oferecendo a outros seus dons, capacidades e habilidades e recebendo daqueles o que for importante para satisfazer suas necessidades de sobrevivência, crescimento e desenvolvimento. Uma relação equilibrada, quando ambas as pessoas compartilham mutuamente, dando e recebendo aquilo que cada um é capaz, é uma relação que promove o amadurecimento a liberdade e o bem-estar.

No mundo profissional não é diferente, pois percebemos que tudo aquilo que existe no universo, naturalmente convive em equilíbrio com o todo, isso acontece com todos os seres vivos, do menor dos insetos ao maior mamífero da Terra. O equilíbrio universal também está conectado com o clima, com o tempo, com as fases da Lua e tudo aquilo que pertence a este mundo. Trazendo essa relação a nossa atividade profissional, percebemos que você recebe o retorno exatamente de acordo com aquilo que você está oferecendo ou já ofereceu anteriormente. Você pode até pensar que está oferecendo mais do que está recebendo, mas não está.

O que acontece é que você veio oferecendo um x de atividades, de resultados e de atitudes, durante toda a sua carreira profissional, e agora está recebendo o retorno de acordo com aquilo que ofereceu. Sua atividade profissional atual está inclusa em tudo aquilo que existe no universo, com isso, constatamos que o valor que você recebe de recursos através dela, está devidamente equilibrado com os resultados que você entrega.

Mas calma, existe uma saída! Se entendermos como funciona este equilíbrio, saberemos como “melhorar” o nosso retorno com a nossa atividade. A saída é causar um “novo desiquilíbrio” para o universo resolver. A partir dos seus estudos realizados até aqui, comece a oferecer mais em sua atividade profissional, ou seja: se pediram três, faça quatro... se era para chegar às 07h, esteja presente desde a 06h30, se era para entregar na sexta-feira, entregue na quinta-feira... Tomando esta atitude, você irá causar um novo fator e naturalmente duas coisas poderão acontecer em sua vida profissional: ou o seu retorno financeiro perante esta atividade irá aumentar, ou ainda, naturalmente você irá migrar para um local, empresa ou situação que lhe permita receber de acordo com o que você passou a oferecer desde então.

Como no universo, nenhum tipo de desiquilíbrio é tolerado por muito tempo, a força universal, trabalhando dentro da Lei da sobrevivência, irá retornar a você, de acordo com o seu novo resultado oferecido.


Lei da Conformidade

Após um profissional atender suas necessidades de sobrevivência a aprender a lidar com a lei básica que supre seu fornecimento de recursos para viver, ele deve começar a olhar para as pessoas e os relacionamentos que possui através da atividade que exerce. Sabe-se que um bom profissional normalmente está rodeado de outros bons profissionais. Evoluir nos relacionamentos e no tratamento entre estes profissionais é entender a importância da construção de um sentimento de pertencimento a um grupo e com isso ter resultados ainda maiores.

Relacionamentos equilibrados, maduros e saudáveis em na nossa vida profissional podem aumentar a nossa motivação e, por sua vez, nosso engajamento em novos projetos e oportunidades de crescimento. Quando cuidamos dos nossos relacionamentos profissionais, temos a certeza que poderemos contar com essas pessoas, da mesma forma como nos sentimos atraídos em ajudar os demais em prol do crescimento e desenvolvimento de todos.


Lei da Diferenciação

Muitos profissionais ainda acreditam que a autoestima por si só é um aspecto emocional, mas na verdade a trata-se de um efeito da racionalidade da mente, a autoestima é construída e não é algo instintivo do ser humano.

No estudo dessa lei, vamos perceber que através da evolução de nossas atividades profissionais, buscamos em nosso íntimo, expressar a nossa capacidade máxima de nossas habilidades, ou seja, deixar nossa marca no livro de nossa atividade profissional.

Não apenas por uma valorização externa, mas íntima. Os profissionais das mais diferentes áreas, buscam nutrir uma própria admiração do seu ser profissional, tendo assim um nível de engajamento ainda maior por suas carreiras.

Neste sentido, entendemos que a elevação da autoestima profissional, fará que com que, trabalhemos para sermos sempre profissionais melhores. Assim, admitindo os nossos pontos de melhoria, olhando para eles abertamente, sem mentir para nós mesmos, e encarando o processo de evolução profissional contínua. Este foco na melhoria contínua, na melhor atuação, no crescimento da competência, na melhor versão profissional de nós mesmo, faz com que, despertemos o nosso poder interno mais forte, alcançando o objetivo principal desta lei.


Lei da Individuação

A lei da individuação funciona como um ponto de virada, ou seja, é a porta de passagem para as leis mais superiores surgirem na vida profissional da pessoa. É nesta lei que iniciamos o processo de tomada de consciência da nossa necessidade da transformação profissional. A necessidade de reavaliarmos as nossas atitudes, nossos valores e reciclagem da construção que fizemos da nossa personalidade profissional, promovendo assim, uma ressignificação do aprendizado profissional já adquirido e uma nova abertura a um novo ser.

O processo encontrado na lei da individuação funciona como uma grande catarse, onde começamos a vislumbrar a existência de níveis mais profundos do nosso ser, mesmo que na área profissional. Neste ponto, surge com clareza, a necessidade de uma busca pelo nosso verdadeiro propósito, um sentido para a atividade que exercemos em nossas vidas e, assim os níveis anteriores transcendem-se e a superficialidade de nossa atividade profissional perde o sentido, o cargo antigamente tão almejado deixa de ter importância, o retorno financeiro que era o objetivo inicial da escolha da nossa atividade profissional, não é mais relevante e passamos a lapidar uma nova identidade profissional. Ao entendermos esta lei, o autoconhecimento profissional assume um novo patamar e as transformações interiores começam a se tornar mais visíveis e mais identificáveis entre os outros profissionais da área.


Lei da Autorrealização

Todo profissional tem dentro de si uma necessidade de autorrealização que busca ser atendida. Não há erro maior que abandonar esta necessidade para atender outros desejos ou situações, pois, quando o profissional exerce uma atividade e não consegue se realizar com tal, encontra insatisfação, desmotivação e certamente muitos tropeços neste caminho.

Sendo uma das leis mais altas, o profissional que atende tal necessidade, atinge uma construção profunda do seu próprio ser profissional mais interno e com isso, solidifica uma conexão com a atividade que exerce.

Um dos principais fatores que faz o profissional viver bem com esta lei, é a leitura do seu próprio propósito. Pois sabemos que, só pode haver um encontro do propósito na conexão de nossas partes mais profundas. Sendo assim, um profissional não poderia ter um interesse pessoal e um interesse profissional conflitantes, pois a leitura do seu propósito não estaria completa. Vou explicar melhor, pense comigo neste exemplo: Eu não posso ser vegetariano e trabalhar em um açougue, não posso ser um ativista ambiental e trabalhar em uma mineradora que esteja poluindo os rios, ou ainda, ser babá e não gostar de estar com crianças. Quando conseguimos unir as nossas partes, acabamos que, nos tornando mais coerentes e mais universais. E esta coesão faz com que, aconteça em nós, um verdadeiro milagre: a extraordinária sensação de agir de acordo com aquilo que acredita.


Lei da Integração

Profissionais lidam bem com esta lei, são profissionais que já perceberam que, somente obter lucros de sua atividade profissional, não é garantia de felicidade e satisfação, pois é preciso fazer a diferença no mundo onde vivem. Começando por fazer a diferença para seus colaboradores, colegas e superiores; cuidando não apenas da entrega das tarefas e projetos dentro dos prazos, mas sobretudo oferecendo possibilidade real de desenvolvimento humano e profissional para aqueles a sua volta. Nesta lei, há a necessidade de buscar maneiras para satisfazer a sua realização, de forma equilibrada, conectada e sem sobrepor nenhuma outra necessidade alheia dos integrantes deste grupo. Pois só assim poderá descobrir o sentido da sua atividade e principalmente da sua própria existência.

A lei da integração significa criar uma comunhão com todas as pessoas da sua atividade profissional, com todos os universos particulares de cada um de seus colegas, fornecedores, superiores, clientes e etc. A autorrealização aqui, está ligada em poder fazer a diferença no mundo, significa compreender a construção sistêmica de uma carreira profissional conectada com o grande desenvolvimento universal e saber que seu propósito busca propiciar que você vista a sua melhor versão de você mesmo.


“Um olhar de profundo amor faz desaparecer tudo que é imperfeito, porque esse não é um olhar superficial e sentimental. Quando se olha o próximo com sentimento de amor verdadeiro, não existe nisso uma imagem má, porque ‘eu e o outro somos um’”. PARA REALIZAR O AMOR E A ORAÇÃO. Seicho Taniguchi.

Lei da Servidão

A lei da servidão está no topo da pirâmide de leis do sucesso profissional, bastante conectada com a lei anterior, sendo na verdade, uma expansão da lei da integração. Quando o profissional atinge a conscientização desta lei, ele entende que, alcançar o seu sucesso profissional é apenas uma consequência natural de suas atitudes, pois seu principal propósito é servir este mundo. É a atividade profissional que torna nossa vida digna de ser lembrada e, sobretudo, seguida. O maior sucesso que um profissional pode alcançar, está na possibilidade de ajudar as outras pessoas a alcançarem o seu próprio sucesso. Pois aqueles profissionais que se preocupam apenas com o seu próprio desenvolvimento, acabam que, não construindo nada, pois não há multiplicadores, apenas ego.


“O florescimento é um estado de saúde mental ideal. Por definição, as pessoas que florescem não apenas sentem-se bem, mas também fazem o bem: experimentam emoções positivas regularmente, superam-se diariamente vive e contribuem para o mundo à sua volta de maneira construtiva” Keyes.

Entender sua atividade profissional como um meio para servir ao outro, nos coloca no degrau do reconhecimento social e universal de profissional. Não que devamos viver em busca de tal reconhecimento, mas é fato que quando passamos a olhar os outros, ouvi-los e contribuir com suas vidas, construímos um reconhecimento natural perante a humanidade.

Imagine que você fosse homenageado em um algum lugar, quem você acredita que faria um depoimento dizendo sobre a sua importância?

Bons profissionais são aqueles que, conseguem realizar a leitura de seu próprio propósito, da forma mais profunda e sublime, trabalhando em sua atividade, pelos direitos humanos, pelo bem-estar da sociedade como um todo e pela preservação do nosso planeta, conectados com as leis universais e as leis da vida. Quando o homem descobre que têm a oportunidade e a possibilidade de ser muito maior, através da atividade que exerce, ele passa a ver a sua vida por outro ângulo e vive uma vida realmente em alta performance.


Lei da Iluminação


Certamente você deve ter se perguntado: E a lei da iluminação está aonde? Você já preencheu todas as fases da pirâmide das leis do sucesso profissional e agora? A lei da iluminação acontece ao entendermos e ampliarmos os nossos conhecimentos sobre as leis anteriores.

A lei da iluminação entende-se que ao perceber o funcionamento das demais leis e esforçar-se para colocar em prática este processo evolutivo, naturalmente ocorre a “iluminação” deste profissional. As suas necessidades iniciais deixam de ser prioridade, para que seus desejos e anseios superiores norteiem a sua vida profissional.

Entendo desta forma, podemos afirmar que todos os profissionais que fazem treinamentos, leituras e estudos que visam o despertar de suas melhores versões, encontram-se em processo de iluminação.

Para entendermos melhor o nome que carrega esta lei, vamos perceber o significado aqui da expressão “iluminação”.

  1. Sentido figurado: conjunto de conhecimentos; ilustração, saber.

  2. Sentido figurado: inspiração, revelação que esclarece algo que era de difícil compreensão.

  3. Na filosofia: no budismo, estágio final do processo de aperfeiçoamento espiritual, marcado pela ausência de desejo ou de sofrimento.

  4. Na teologia: na teologia de santo Agostinho 354-430, ato de ser tocado pela luz divina; meio pelo qual os homens são esclarecidos por Deus para poderem atingir o verdadeiro conhecimento.

Independente de sua crença ou religião, entenda a iluminação aqui, como um processo de levar o conhecimento dessas leis e seu funcionamento ao mundo deste profissional, e com isso, ele entende que, seus valores, atitudes, pensamentos e desejos precisam ampliar-se para conectar-se com o universo onde vive.


IMPORTANTE - Peço que leia com atenção:

  • O QUE ACHOU DESTA AULA? Vou pedir que final de cada aula como esta, você deixe aqui um feedback do que achou - com o seu comentário poderei aprimorar ainda mais o processo da Escada e com isso os resultados poderão ser ainda maiores.

  • PARTICIPE DO GRUPO OFICIAL? Para compartilhar e trocar informações com outros profissionais, você está sendo convidado para participar do nosso grupo de whatsapp SUBINDO A ESCADA. Um grupo com interação moderada (com horários determinados para integração e troca de atividades), sem publicidade ou conteúdos que não sejam relevantes ao tema central. PARTICIPAR DO GRUPO

29 visualizações

O QUE VOCÊ ACHOU?

SUCESSO É UMA ÁRVORE QUE NECESSITA DE CUIDADOS

JONAS SCHELL

Diretor e treinador do Instituto Henrique Amaral

Orientador do Treinamento ESCADA PARA O SUCESSO e SUCESSO PROFISSIONAL 2.0, gestor em recursos humanos, estudando de psicologia positiva e apaixonado pelo desenvolvimento humano.

INSTITUTO HENRIQUE AMARAL

CNPJ 27.936.135/0001-10

Av. Diário de Notícias, 200 Sala 1511 - Porto Alegre / RS ​​

Whats: (51) 99174-5979 / Telefone: (51) 3110-6015​

Email: contato@coachjonasschell.com